sexta-feira, 11 de março de 2011

Senai-AC leva prêmio pela melhor gestão do projeto Soldado Cidadão

A dificuldade de levar a Educação profissional ao extremo oeste do Acre vem sendo vencida pelo Senai-AC graças a importantes parceiros. Um dos maiores aliados nessa empreitada é o 61º Batalhão de Infantaria e Selva (BIS), dupla que acaba de conquistar o prêmio de melhor gestão do Projeto Soldado Cidadão.

Implementado pelo Exército em parceria com o Senai e outras organizações do Sistema S em diversas localidades o país, o projeto chegou a Cruzeiro do Sul, no Alto Juruá, sendo essa experiência considerada a melhor por sua ousadia em realizar cursos inéditos mesmo com dificuldade inerentes à região. Um dos mais destacados foi o de Carpintaria Naval, segundo o comandante Rommel Franco, que recebeu o prêmio das mãos do ministro da Defesa, Nelson Jobim, em recente evento.

Hoje temos 20 padeiros no Batalhão. Um ex-soldado abriu sua pizzaria e padaria e hoje está prosperando. A ideia deste projeto é fornecer uma qualificação profissional aos militares temporários das Forças Armadas para que tenham condições de se colocarem no mercado de trabalho e uma vida digna após se licenciarem”, explicou o comandante Rommel. “Muitos colegas dos grandes centros nem sabiam onde ficava o Acre, muito menos o Alto Juruá. Esta parceria com o Senai muito nos honra e prestigia."

A diretora regional do Senai-AC, Solange Chalub Bandeira, esteve em Cruzeiro do Sul no final de fevereiro, participando da solenidade de formatura de 16 soldados e cinco civis do curso Eletricista Predial, realizado no 61º BIS. Na solenidade, ela soube de novos detalhes do reconhecimento que o projeto realizado no Juruá obteve nacionalmente.

A diretora Solange na entrega de certificados no 61º BIS – Foto Senai-AC
A diretora Solange na entrega de certificados no 61º BIS – Foto Senai-AC
 “Muita gente não sabe como é difícil realizar cursos profissionalizantes aqui nesta região: trazer instrutores de qualidade e material por uma estrada que em determinadas épocas do ano o acesso é extremamente complicado”, destacou Solange. “Os alunos que agora se formaram jamais ficarão sem renda, pois é uma ocupação de grande demanda em todo o Brasil." O Senai e 61º BIS já qualificaram profissionalmente cerca de 200 soldados.

Antigos parceiros novos caminhos
Na capital do Juruá, Solange e o diretor da escola do Senai local, Mozani Mariano, participaram da aula práticas da turma de Operador de Máquinas Pesadas que acabara de ser iniciado, sob a coordenação do docente Luiz Pires Barbosa – que formou três turmas em Rio Branco antes de embarcar para o Juruá.

Planejado há um ano, o curso de operador só pode ser realizado graças à parceria com a Prefeitura de Cruzeiro do Sul. “Está sendo excelente. Não podemos perder essa oportunidade. Muitos de nós não teríamos condições de pagar por um curso desses", ressaltou Raimundo Rufino Barbosa, de 63 anos e um dos alunos mais experientes da turma.

O Senai também vai trabalhar na região para qualificar jovens e adultos. Depois de um hiato de aproximadamente 15 anos, a diretora Solange voltou a assinar Termo de Cooperação Técnica com a Paróquia Nossa Senhora do Rosário. De acordo com o padre Engelbert Johannes Rosche, essa ideia nasceu “há 25 anos, quando pretendia cuidar do futuro dos jovens, pois as escolas daquela época eram muito precárias."

Ele explica que era parceiro em 18 cursos. "O Senai é muito importante, que ensina toda a base, todo o processo de uma profissão industrial. Sempre digo que não se joga fora a chance de ter uma profissão para a vida toda e condições de sustentar sua família”.

Ainda em Cruzeiro do Sul, houve a formatura de 157 alunos dos cursos de Redes de Alta e Baixa Tensão; Segurança em instalações e serviços em eletricidade – NR10; Comandos Elétricos e Operador de Máquinas Pesadas. Todos com apoio da prefeitura. Na turma de Eletricidade baixa, a única mulher, Maria de Fátima Ferreira, de 33 anos, feliz pela a formatura, garantiu que encontrou sua verdadeira vocação. “Também estou me formando em Eletricidade alta e agora estou fazendo o curso de NR10. Não é porque sou mulher que não posso ser eletricista”, argumentou.

Para Francisco Thomaz de Oliveira Neto, de 54 anos, que acabara de se aperfeiçoar como operador de máquinas pesadas, o certificado será guardado com muita honra. “Já estou quase me aposentando nessa profissão, mas eu não tinha nada que comprovasse que realmente sou operador de máquinas pesadas. Este curso foi uma das melhores coisas que tivemos aqui em Cruzeiro do Sul."

“Tivemos um bom início de ano, e acreditamos que vamos multiplicar o número de formandos elo menos oito vezes até dezembro”, declarou Alfredo da Silva, coordenador da representação do Senai na cidade. Principalmente porque será entregue em breve da Unidade Integrada Sesi-Senai na cidade. “Estaremos mais fortes, assim como Cruzeiro do Sul, pois estaremos aqui de corpo e alma para contribuir com o desenvolvimento dos trabalhadores e desta cidade. Há uma frase que diz 'Sou inteiro quando faço a minha parte', e é esse lema que nós do Senai seguimos à risca."

Nenhum comentário:

Postar um comentário