quinta-feira, 24 de março de 2011

Parceria com a Vale: Mineradora busca Senai para beneficiar entorno da Ferrovia Norte-Sul

O presidente do Sistema Fieto, Roberto Pires, recebeu nesta quarta (23/3), em Palmas, proposta de parceria da Vale. Presente em 38 países, a mineradora, que atua ainda nos segmentos de logística, energia e siderurgia, propôs um trabalho conjunto para prestação de serviços das organizações que compõem o Sistema em favor das comunidades impactadas pela construção da Ferrovia Norte-Sul.


   Vanderley Lima 
Programas que envolvam qualificação profissional, atendimento em saúde são o alvo da área de ações sociais da empresa. A Vale vai fornecer dados sobre demandas, serviços, cronograma e municípios para a elaboração de um plano de atendimento que será discutido nos próximos encontros.

O traçado inicial da Ferrovia Norte-Sul previa a construção de 1.550 quilômetros de trilhos, cortando Maranhão, Tocantins e Goiás. Em 2008, a Presidência da República incorporou os trechos Açailândia-Belém e Anápolis-Panorama ampliando o traçado para 3.100 quilômetros de extensão quando concluído.
A Ferrovia Norte-Sul foi projetada para promover a integração nacional, minimizando custos de transporte de longa distância e interligando as regiões Norte e Nordeste ao Sudeste e Sul, com conexões com 5 mil quilômetros de ferrovias privadas.

Essa integração será o grande agente uniformizador do crescimento auto-sustentável do país, na medida em que possibilitará a ocupação econômica e social do cerrado brasileiro - com uma área de aproximadamente 1,8 milhão de quilômetros quadrados, correspondendo a 21,84% da área territorial do país, onde vivem 15,51% da população brasileira - ao oferecer logística adequada à concretização do potencial de desenvolvimento dessa região, fortalecendo a infraestrutura de transporte necessária ao escoamento da sua produção agropecuária e agroindustrial.

Inúmeros benefícios sociais estão surgindo com a Norte-Sul. A articulação de diferentes negócios está contribuindo para o aumento da renda interna e para o aproveitamento e melhor distribuição da riqueza nacional, a geração de divisas e abertura de novas frentes de trabalho. O resultado será a diminuição de desequilíbrios econômicos entre regiões e pessoas e a melhoria significativa da qualidade de vida na região.
Com informações do http://www.valec.gov.br/ferrovia.htm

Nenhum comentário:

Postar um comentário